Boneca ‘momo’ é perigo real, diz especialista em direito digital

Featured Video Play Icon


Depois de viralizar nas redes sociais no ano passado, o desafio da momo está de volta circulando na internet, em vídeos que ensinam a fazer slime e na canção Baby Shark.

A personagem com olhos esbugalhados, inspirada em uma escultura japonesa, surge no meio dos vídeos incitando as crianças a cortarem os pulsos.

Dois relatos dão conta de que os vídeos foram vistos no youtube kids, embora o Google tenha anunciado que não recebeu pedidos de remoção deste tipo de conteúdo. Os vídeos também têm circulado no WhatsApp.

Um advogado especialista em direito digital alerta que, independentemente da forma pela qual o conteúdo é compartilhado, o perigo é real, já que a internet é uma janela que abre milhões de possibilidades. “Se ela não tem a devida educação digital e o controle principalmente dos pais e da família, ela pode ter acesso a inúmeros conteúdos que nem mesmo nós imaginávamos que existissem”, afirmou.

A Luciana tem dois filhos: o Marcelo de 5 anos e a Analu de 3, que costumam assistir desenhos no Youtube. Ela nunca imaginou que o perigo pudesse estar dentro de casa. “Eles já estavam tendo acesso (à momo) em um aplicativo a vídeos que são indicados para crianças de 13 anos. Então a gente optou por excluir os aplicativos”, explicou Luciana.

A Carolina é mãe do Matheus de 5 anos e da Marina de 8. Em casa a ordem é aproveitar a infância e se desligar do computador.”Agora é a hora de você correr, de você se sujar, de você fazer experimentos, de você brincar. Agora é hora de ser criança e brincar”, afirmou Carolina.

A Ana Paula é psicóloga e explica que este tipo de conteúdo costuma atingir crianças mais vulneráveis, por isso é importante que o canal de comunicação com os pais esteja sempre aberto. É preciso ficar atento a qualquer mudança de comportamento dos filhos.”É onde a criança se fecha, se recusa de fazer atividades que antes fazia”, alertou a psicóloga.